Comitê Operacional da Mancha de Óleo do Baixo Sul promove nova reunião em Ituberá Ciapra conduziu reunião com órgãos envolvidos no enfrentaento do óleo nas praias da região

Ituberá sediou nesta segunda-feira (4), a segunda reunião do Comitê Operacional da Mancha de Óleo do Baixo Sul, promovida pelo Ciapra – Consórcio Intermunicipal do Mosaico das Apas do Baixo Sul, para discutir o trabalho de enfrentamento do óleo que chegou às praias da região. O encontro reuniu representantes dos municípios afetados pelo desastre e os órgãos estaduais e federais, como Ibama, Marinha do Brasil, Defesa Civil do Estado da Bahia, Bahia Pesca, Inema, Amurc, OAB, os prefeitos de Taperoá, Rosival Lopes, e de Cairu, Fernando Brito, Colônias de Pescadores, além de especialistas em estudos de desastres ambientais.

O Presidente do consórcio e Prefeito de Igrapiúna, Leandro Ramos, conduziu a reunião afirmando ser necessário que cada ente federado assuma suas responsabilidades com mais celeridade. “Não é possível que apenas a parte mais fraca – os municípios – tenha que assumir “sozinha” a conta de um desastre dessa magnitude”, disse Leandro.

O Prefeito de Cairu, Fernando Brito, informando que Morro de São Paulo foi novamente afetado por mais manchas de óleo nesta segunda-feira (4), foi categórico ao afirmar que os municípios estão arcando com a maior fatia do bolo nessa tragédia e que os entes maiores (Estado e União) precisam urgentemente assumir seus papéis com mais eficiência. “Estamos pagando a conta quase sozinhos. Os municípios estão achatados com essas despesas e estamos vendo os entes maiores demorando demais para nos apoiar e assumir responsabilidades. As prefeituras não vão aguentar essa conta”, reclamou, Fernando Brito.

Fernando Brito, Prefeito de Cairu. Foto: Portal Pratigi

O secretário executivo da Amurc e CDS-LS – Consórcio de Desenvolvimento Sustentável do Território Litoral Sul, Luciano Veiga, seguiu o argumento de Fernando Brito e acrescentou que medidas urgentes precisam ser tomadas por Estado e União para que as prefeituras tenham um alívio nos gastos oriundos da estrutura que foi montada para dar apoio aos voluntários e equipes de trabalho. “As prefeituras estão custeando praticamente tudo, muitas vezes sem condições de arcar sozinhas. Com o final do ano se aproximando, as administrações podem entrar em colapso com esses gastos”, disse Luciano.

O secretário executivo da Amurc, Luciano Veiga. Foto: Portal Pratigi

O consórcio solicitou ao Comandante do 2º Distrito Naval, Vice-Almirante, André Luiz Silva Lima de Santana Mendes, presente no encontro, o envio de mais 80 militares para que fiquem sediados em Cairu e Ituberá a fim de aumentar o efetivo e melhorar o suporte aos voluntários que desde o primeiro momento estão na linha de frente em defesa das praias e estuários da região. Ituberá e Cairu já contam com um efetivo de 50 homens da marinha.

Comandante do 2º Distrito Naval, Vice-Almirante, André Luiz Silva Lima. Foto: Portal Pratigi

Um ponto importante abordado na reunião foi uma solicitação ao Inema – Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado da Bahia, que promova exames de qualidade da água das praias tocadas pelo óleo na região a fim de dar uma resposta rápida às pessoas que, por sua vez, estão cobrando um posicionamento aos representantes locais. A destinação final dos resíduos de petróleo retirado das praias também foi cobrada ao Inema, que declarou, através de sua coordenação que ainda está se estudando a destinação final destes resíduos.

O Superintendente da Defesa Civil do Estado, Paulo Sérgio Luz, atualizou os números de equipamentos enviados para o enfrentamento do óleo e disse que novos parceiros estão doando mais kits de EPI’s, a exemplo de Petrobras, Shell, uma ONG do Rio de Janeiro e uma outra doação vinda do Rio Grande do Sul. Devem estar à disposição cerca de 1.500 novos equipamentos para garantir o trabalho de limpeza das praias e proteção das equipes e voluntários.

Superintendente da Defesa Civil do Estado, Paulo Sérgio Luz. Foto: Portal Pratigi

A coordenadora da Bahia Pesca no Baixo Sul, Milena Souza, disse que o órgão já iniciou o cadastramento dos pescadores para que eles sejam amparados pelo governo do Estado. Ituberá, Igrapiúna e Jaguaripe já estão recebendo a visita dos técnicos para cadastramentos de pescadores. Em Ituberá, as Secretaria da Agricultura assessou esse trabalho junto às comunidades pesqueiras na Barra de Serinhaém e Pratigi. A Colônia de Pescadores Z-40, de Ituberá, disponibilizou ajuda para colaborar com os cadastros, cedendo a sede do órgão, computadores e seis funcionários para auxiliar nos trabalhos.

A coordenadora da Bahia Pesca no Baixo Sul, Milena Souza, com o Presidente do Ciapra, Leandro Ramos. Foto: Portal Pratigi

O engenheiro José Carlos Alencar, do Projeto Laboratório Vivo Tinharé, que atua no estudo, pesquisa, ação e intervenção sobre a sustentabilidade de arquipélagos turísticos e que participou da reunião acompanhado do professor Rui Rocha, da Universidade Estadual de Santa Cruz, declarou que todas essas empresas, que lidam com a extração, manuseio e transporte de petróleo, de maneira geral, que geram algum impacto ao meio ambiente, elas respondem por processos e leis ambientais nacionais e internacionais. “Essas empresas não podem fugir das suas responsabilidades e o governo precisa cobrar que a lei seja cumprida e os prejuízos sejam ressarcidos”, disse José Carlos.

O engenheiro José Carlos Alencar, do Projeto Laboratório Vivo Tinharé, e o professor Rui Rocha, da Universidade Estadual de Santa Cruz

Para finalizar o encontro, o Leandro Ramos, apresentou uma proposta em caráter de urgência, em conjunto com a Amurc, para uma pauta com o Governador Rui Costa. De acordo com o presidente do Ciapra, o governador precisa se posicionar junto aos municípios do Baixo Sul, Sul e extremo Sul, assim como foi conduzido com as cidades do Litoral Norte do Estado. “Precisamos sentar com o governador Rui Costa e cobrar soluções imediatas de apoio aos prefeitos da nossa região. Temos que cobrar; não podemos assumir sozinhos essa conta”, finalizou Leandro Ramos.

Na manhã desta terça-feira (5), o Portal apurou que o pedido já foi encaminhado ao Governo do Estado, que por sua vez está pré-agendando esse encontro com os prefeitos do Baixo Sul, Sul e Extremo Sul entre os dias 7 e 9 de novembro.

Veja imagens da reunião do Ciapra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *