Córnea artificial devolve a visão a cego, em Israel A CorNeat KPro é 100% artificial e produzida sem o uso de células humanas

Aos 78 anos de idade e morador da cidade de Haifa, o árabe-israelense Jamal Furani já havia sido submetido a quatro transplantes de córnea malsucedidos. Com o avanço da doença, que há mais de uma década agravava sua cegueira em ambos os olhos, ele tinha certeza de que jamais voltaria a enxergar.

Mas isso mudou no início deste mês quando os médicos decidiram tentar novamente. Desta vez, com o implante CorNeat KPro, uma córnea artificial produzida em laboratório pela startup israelense Corneat Vision.

No dia seguinte a cirurgia, o resultado pode ser confirmado e além de conseguir enxergar após 12 anos, Jamal Furani fez com que lágrimas escorressem dos olhos de todos os presentes ao ver seus familiares mais próximos e poder novamente ler.

“O procedimento cirúrgico foi bastante simples e o resultado excedeu todas nossas expectativas. O momento em que removemos os curativos foi muito emocionante e significante”, disse a Dra. Irit Bahar para o jornal Israel Hayom. Cirurgiã e chefe da Unidade de Oftalmologia do hospital Rabin Medical Center, foi ela quem liderou a equipe de transplante.

Co-fundador da startup CorNeat Vision, o Dr. Gilad Litvin disse que para ele foi surreal poder presenciar o primeiro transplante de uma córnea artificial produzida pela empresa.

“Após anos de muito trabalho, ver uma colega transplantar a CorNeat KPro com facilidade e poder testemunhar um ser humano recuperando a visão no dia seguinte foi eletrizante e ao mesmo tempo comovente. Havia muitas lágrimas no consultório”, disse o médico.

A CorNeat KPro é 100% artificial e produzida sem o uso de células humanas. Ela foi concebida para substituir córneas deformadas, danificadas ou opacas, com o intuito de reabilitar imediatamente a visão dos pacientes. Desenvolvedora do implante, a startup israelense CorNeat Vision acredita que seu produto irá revolucionar o mercado ao garantir pela primeira vez, “um substituto sintético fiável e escalável, semelhante à córnea humana e capaz de impactar significativamente, a vida de milhões de pessoas com deficiência visual ou cegueira”.

A filha de Jamal Fulani, Khulad, disse ao canal 12 de televisão israelense que seu pai poderá finalmente conhecer ver seu novo neto, de apenas dois meses de idade. “Não bastava ser capaz de ouvir e sentir, algo estava faltando. Agora ele será capaz de vê-lo com os próprios olhos”, disse ela.

Jamal disse que apesar da euforia da equipe médica, ele era a pessoa mais feliz no consultório ao poder enxergar novamente após 12 anos. Referindo a seu neto ele disse: “é meu tesouro, quero vê-lo”.

Fonte: The Global Movement For Israel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *